Uma coleção de causos na estreia da Overload

Qualquer trajetória no mundo do entretenimento é repleta de causos. O primeiro evento que organizamos, em 2007, foi além e se tornou um festival de aleatoriedade. Antes, uma rápida volta no tempo. A empresa foi fundada em 2005 como um selo/gravadora, mas já com o plano de produzir shows em algum momento do futuro. Esse futuro chegou mais rápido do que o esperado e foi a solução para evitar a falência – mais detalhes sobre a fase “Records” da Overload, quem sabe, algum dia neste mesmo blog. Volta para 2007. Ao vermos a notícia que o Dark Moor tocaria em Osasco, conversamos com os produtores do show e pareceu ser uma boa oportunidade para estrear nesse ramo: o cachê era baixo e a banda tinha uma data extra disponível. O hoje finado Hammer Rock Bar, em Campinas, era a melhor casa do estilo no interior paulista, e assim anunciamos nossa primeira produção. A data seria 6 de julho, sexta-feira, aniversário da minha então namorada, hoje esposa, e com isso a primeira lição do showbiz: você irá perder casamentos, aniversários, jogos e festas em geral. Importante ressaltar o exótico itinerário dessa “tour brasileira”: Campinas e Osasco – deve ter sido a única com esse roteiro na história da música. O cartaz merece um capítulo à parte: ainda influenciados por uma adolescência à base clichês da Rock Brigade, tacamos logo “OS REIS ESPANHÓIS DO POWER METAL MELÓDICO” em todo o material de divulgação. Para a abertura, duas bandas locais – Counterparts e Winter Sky – e o veterano Seventh Seal, este graças ao xaveco do amigo Tiago Claro (Morcego/Tito), guitarrista do...